Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Rinoceronte foi abatido em zoo por causa do tráfico de cornos

Animal foi morto a tiro e o corno principal, cujo valor varia entre os 30 e os 40 mil euros, desapareceu

Christian Hartmann/ Reuters

Um rinoceronte que vivia no jardim zoológico de Thoiry, a pouco mais de 50 quilómetros de Paris, em França, foi abatido na madrugada desta terça-feira com três tiros na cabeça, tendo os autores do crime serrado e roubado o corno principal do animal. Segundo informações citadas pelo jornal Le Figaro, o corno principal tem um valor entre os 30 e os 40 mil euros.

O animal, de nome Vince, nasceu na Holanda há quatro anos e estava naquele zoo desde Março de 2015. O rinoceronte-branco-do-sul é, segundo o francês Le Figaro, uma sub espécie em perigo de extinção. Apesar de ilegal na Europa, o tráfico de cornos deste animal, o segundo maior mamífero terrestre, continua a ser um problema já que, infundadamente, há quem acredite que estes têm propriedades terapêuticas e afrodisíacas.

Na África do Sul — onde existe a maior população de animais desta espécie: 20 mil — a venda dos cornos de rinoceronte voltou a ser legal em 2015. 

Esta é a primeira vez que um acto deste género acontece na Europa. Ainda não são conhecidos os autores do crime, estando a polícia francesa a investigar o caso. 

A ministra do ambiente, Ségolène Royale, condenou o acto numa mensagem no Twiiter. "É hora de se proibir o comércio de cornos de rinoceronte, como eu fiz em França", escreveu.