Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Pedro Sánchez requisita helicóptero que estava a ser usado em operações de busca

O helicóptero foi “desviado” das operações de resgate durante três horas: duas enquanto se aguardava a chegada do líder do Governo espanhol às Ilhas Baleares e outra enquanto se deslocava para a outra ponta da ilha.

Pedro Sánchez a sobrevoar as zonas afectadas pela tempestade Gloria na Catalunha. Fotografia disponibilizada pelo gabinete de Sánchez LUSA/Borja Puig/Moncloa Prime Minister's Office HANDOUT

O chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez, usou na passada quinta-feira um helicóptero que estava a ser utilizado nas operações de busca de um homem de 34 anos que estava desaparecido em Maiorca – o único helicóptero de resgate da Guardia Civil, noticia o jornal espanhol ABC. Sánchez requisitou o helicóptero para se deslocar de Palma a Capdepera, um voo de 23 minutos, acabando por “desviar” o meio de transporte durante três horas.

O homem, David Cabrera, foi na segunda-feira levado pela corrente nas Ilhas Baleares. Desde aí, uma equipa de resgate que envolve os bombeiros, os serviços de emergência e a polícia tem tentado localizar o homem de 34 anos, que continua desaparecido. O helicóptero, refere o diário ABC que ouviu fontes ligadas às operações de busca, estava a ser “fundamental” já que sobrevoava a zona onde Cabrera tinha desaparecido.

Enquanto esta aeronave estava em utilização, o Instituto Balear da Natureza disponibilizou outro helicóptero para ajudar nas buscas, mas trata-se de uma aeronave de combate aos incêndios sem meios para resgate de pessoas.

O líder espanhol tinha estado na véspera deste dia a sobrevoar a zona de Delta del Ebro, no continente. No dia seguinte, deslocou-se a Palma de Maiorca e chegou com atraso – o que fez com que o helicóptero da Guardia Civil estivesse durante duas horas à espera no aeroporto de Son Sant Joan, sem aviso prévio de que estaria inoperacional durante esse tempo. Durante essas três horas – incluindo o tempo de deslocação para a outra ponta da ilha –, as buscas decorreram sem este helicóptero.

Chegado ao destino, refere o ABC, o helicóptero sobrevoou a zona afectada pelo mau tempo dos últimos dias para que Sánchez pudesse avaliar os estragos da tempestade Gloria (que causou pelo menos 13 mortos). Em terra, cumprimentou as autoridades, falou com a comunicação social e, depois, voltou a Palma usando o mesmo helicóptero.