Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Morreu Jusuf Habibie, o Presidente indonésio que autorizou o referendo em Timor-Leste

Habibie tinha 83 anos e estava internado num hopital em Jacarta.

Habibie sucedeu a Suharto, em 1998 LUSA/BARBARA WALTON

Jusuf Habibie, o antigo Presidente da Indonésia que autorizou o referendo que levou à independência de Timor-Leste, morreu esta quarta-feira num hospital em Jacarta, com 83 anos.

Habibie era o vice-presidente da Indonésia em Maio de 1998, quando o ditador Suharto resignou ao cargo no auge da crise económica na Ásia, que provocou gigantescas manifestações nas ruas de Jacarta, e de casos de violência étnica e anti-China um pouco por todo o país.

Ficou na presidência durante 17 meses, até à eleição de Abdurrahman Wahid nas eleições de Outubro de 1999, desempenhando um papel fundamental na transição da Indonésia para a democracia.

Foi com ele que a política da Indonésia em relação ao estatuto de Timor-Leste mudou de forma radical. Em Janeiro de 1999, abriu as portas à realização de um referendo, ao fim de mais de 20 anos de ocupação indonésia na antiga colónia de Portugal.

Na consulta popular, que se realizou em 30 de Agosto de 1999, quase 80% dos eleitores rejeitaram legitimar um estatuto de autonomia alargada dentro da Indonésia, o que resultou numa onda de violência nos meses seguintes e acabaria por levar à independência do território em Maio de 2002.

Quatro anos depois, em Junho de 2006, Habibie visitaria Portugal como “o homem que abriu caminho à independência de Timor-Leste”.

Habibie nasceu na cidade de Parepare, na ilha de Celebes, e foi o terceiro Presidente desde a independência da Indonésia (1945), substituindo Suharto e promovendo reformas sociais, políticas e económicas que abriram o caminho para a recuperação após a crise financeira asiática de 1997.

Engenheiro aeronáutico com mais de 40 patentes registadas, Habibie emigrou para a Alemanha aos 19 anos, onde dez anos depois completou um doutoramento em engenharia e trabalhou para a empresa aeroespacial alemã Messerschmitt-Bolkow-Blohm.

A carreira política de Habibie começou em 1974, como consultor de Suharto, amigo de família desde a década de 1950, tendo em 1978 renunciado ao seu emprego na Alemanha e aceitado o cargo de ministro da Tecnologia e Investigação, lançando vários projectos para aumentar a capacidade tecnológica da Indonésia.

Numa reacção à sua morte, o actual Presidente indonésio, Joko Widodo, referiu-se a ele como “um cientista de craveira mundial e o pai da tecnologia na Indonésia”, pela sua influência no desenvolvimento da indústria da aviação no país.