Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Governo argentino admite erro no apagão que deixou milhões de pessoas sem luz

A maior falha de energia eléctrica da história do país afectou também o Uruguai. O alerta de que algo anómalo se passava foi negligenciado.

Uma falha de ligação entre as centrais eléctricas de Yaciretá e de Salto Grande esteve na origem do apagão que deixou este domingo sem energia eléctrica a Argentina e o Uruguai durante longas horas. O alerta de que algo não estava certo foi negligenciado e em consequência disso, os dois países acordaram sem luz.

De acordo com a imprensa argentina, uma anomalia na frequência de ligação entre as centrais levou a que todas as outras centrais deixassem de funcionar como forma de protecção. Foi esse erro inicial não corrigido que produziu uma reacção em cadeia e o apagão total.

A falta de electricidade aconteceu às 7h07 (12h07 em Portugal continental) e só a partir do meio-dia se começou a restabelecer o fornecimento de maneira gradual, processo que se contava demorar ainda algumas horas. Por exemplo, os responsáveis do sector de energia calculavam que a electricidade só chegaria à Patagónia muito mais tarde.

Ao princípio da tarde a maioria da província de Buenos Aires e as províncias do Nordeste, junto à fronteira com o Uruguai, já tinham energia. A tempo de poder normalizar o processo eleitoral para governadores que este domingo decorria em algumas províncias. Duas delas, Santa Fé e Formosa, estão nessa região, denominada Litoral, por se situar entre os rios Paraná e Uruguai.

As outras duas que também votavam este domingo eram as de San Luis, no centro-oeste do país, e a Terra do Fogo, no extremo sul, mas esta não sofreu qualquer corte de energia porque não está ligada directamente à rede de distribuição do país, o denominado Sistema Argentino de Interconexão (SADI).

A secretaria de Energia da Argentina emitiu logo pela manhã um comunicado referindo que a falha se deveu a um “colapso do SADI” e que o restabelecimento do sistema demoraria “algumas horas”.

“Às 7h07 aconteceu um colapso do Sistema Argentino de Interconexão (SADI) que produziu um corte massivo de energia eléctrica em todo o país e que afectou também o Uruguai”, refere a secretaria num comunicado oficial.

Alejandra Martínez, porta-voz da Edesur, uma das empresas de distribuição de energia argentinas, qualificou o apagão como “um facto inédito” e explicou ao diário Clarín que o processo iria demorar várias horas porque os técnicos sabiam, “claramente, as causas”, no entanto, “pôr em funcionamento a geração e transmissão [de electricidade] para que chegue a casa de cada um levará várias horas”.