Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Bolsonaro diz que índios estão a tornar-se “seres humanos como nós”

Comentários foram proferidos numa das transmissões em directo que o Presidente brasileiro tem o hábito de fazer para debater os assuntos da semana. Articulação dos Povos Indígenas do Brasil diz que vai apresentar queixa por racismo.

Jair Bolsonaro Reuters/Adriano Machado

Jair Bolsonaro afirmou esta quinta-feira à noite que “os índios estão a evoluir” e a tornar-se “seres humanos como nós"​. As declarações foram proferidas durante umas das suas transmissões em vídeo que realiza com frequência no Facebook para comentar os assuntos da semana ou dos últimos dias.

No vídeo em que aparece acompanhado por Tarcísio Gomes de Freitas, ministro da Infra-estrutura, Bolsonaro anuncia que foi oficialmente criado o Conselho da Amazónia, que será chefiado pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão. “Mourão vai ser o nosso grande coordenador, à frente desse Conselho da Amazónia. Vai tratar da protecção, da defesa, da prevenção, do desenvolvimento sustentável e logicamente vai ter a sua participação na questão das terras indígenas”, disse Bolsonaro, perguntando de seguida a Gomes de Freitas se estava a par da situação actual da população indígena.

Foi no decorrer desta questão que Bolsonaro afirmou que as comunidades indígenas estavam “muitos evoluídas” em relação ao que eram “há 13 ou 14 anos”. “Vamos fazer com que o índio se integre na sociedade e realmente possua sua terra indígena. É isso que queremos aqui”, concluiu.

Sonia Guajajara, uma das principais líderes indígenas do Brasil, e também coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), já reagiu às palavras do Presidente brasileiro no Twitter. “Nós, povos indígenas, originários desta terra, exigimos respeito! Bolsonaro mais uma vez rasga a Constituição ao negar nossa existência enquanto seres humanos. É preciso dar um basta a esse perverso!”, escreveu Guajajara, acrescentando que a APIB avançará com uma queixa por racismo.

Esta não é a primeira vez que o Presidente brasileiro tece comentários polémicos sobre a população indígena. Em 2018, antes de tomar posse como chefe de Estado brasileiro, Bolsonaro afirmou que “um índio em reserva é como animal em zoológico”.

Ainda esta semana, mais de 600 líderes indígenas brasileiros, de 45 etnias diferentes, reunidos na floresta em torno do emblemático chefe Kayapó ​Raoni Metuktire, denunciaram a política de “genocídio, etnocídio e ecocídio” que dizem ser incentivada pelo Governo de Bolsonaro e rechaçaram o projecto de lei que o executivo está a preparar para permitir a exploração mineira e outros empreendimentos mesmo sem a aprovação dos indígenas.