Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Adolescente matou melhor amiga após promessas de falso milionário

Homem prometeu nove milhões de dólares a rapariga caso esta lhe enviasse provas de um homicídio. Jovem e cúmplices são agora acusados de homicídio em primeiro grau.

Homem fez-se passar por milionário Reuters/KACPER PEMPEL

Uma adolescente do estado norte-americano do Alasca é suspeita de ter assassinado a melhor amiga após ter sido ludibriada na Internet por um homem que se fazia passar por um multimilionário do Texas. “Tyler” — nome fictício usado por Darin Scilmiller, de 21 anos — prometeu a Denali Brehmer uma recompensa de 9 milhões de dólares caso esta cometesse um homicídio e lhe enviasse provas do crime.

No dia 2 de Junho, a adolescente convidou a melhor amiga, Cynthia Hoffman, de 19 anos, para uma caminhada por uma zona rural. Com o auxílio de outros quatro jovens, com quem prometeu repartir o dinheiro, terá imobilizado a jovem, prendendo-lhe os pulsos e pés com fita adesiva. Depois de imobilizada, a jovem foi assassinada com um tiro na cabeça, e o corpo abandonado na zona do crime. As autoridades descobriram o corpo a 4 de Junho.

Para executar o crime, Denali Brehmer recrutou Kayden McIntosh, 16 anos, Caleb Leyland, de 19, e dois jovens menores de idade cujas identidades não são reveladas pela imprensa norte-americana. Vídeos e fotografias do crime foram enviados para o telemóvel de Darin Scilmiller, como forma de provar o homicídio e garantir a eventual recompensa. Os seis são agora acusados de homicídio em primeiro grau. 

De acordo com o processo a que a ABC News teve acesso, Denali Brehmer, de 18 anos, admitiu ter assassinado a amiga Cynthia Hoffman, de 19 anos. Também Darin Scilmiller, o falso milionário, admitiu ter prometido a recompensa milionária à adolescente, adiantando, ainda, que tinha discutido um segundo homicídio com Denali, que não se veio a concretizar. Após o homicídio do dia 2 de Junho, Scilmiller chantageou Brehmer, tentando coagi-la a abusar sexualmente de “miúdos de 8 e 9 anos”. Para além das acusações ligadas directamente ao caso, Denali Brehmer é também acusada de ter partilhado vídeos e fotografias de pornografia infantil com o falso milionário. 

Perante o caso, Bryan Schroder, procurador do estado do Alasca, deixou um aviso aos pais de jovens adolescentes: “Por muito bem que a Internet possa fazer, também pode ser um lugar sombrio e os pais devem ser inteligentes e monitorizar a actividade online dos seus filhos.