Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Novos Activistas da Cultura Europeia: as “melhores coisas” da vida estão para lá da fronteira

No sétimo — e último — episódio da série New Activists of European Culture ("Novos Activistas da Cultura Europeia", em português), intitulado Northern Light, a conversa faz-se com os pés bem assentes na neve de Tromsø, no extremo Norte da Noruega. Aslak Holmberg, vice-presidente do Saami Council (uma organização que quer preservar o património dos Sami), e Srećko Horvat, filósofo e fundador do Democracy in Europe Movement, discutem sobre "O que faz uma cultura?".

Horvat lamenta o desaparecimento de uma "mistura de culturas". Após o governo de Itália “ter instituído o encerramento de todos os pequenos restaurantes étnicos em Lucca, Prato e Milão”, o filósofo alemão relembra o que foi dito por um chef italiano: "'Se não fosse Marco Pólo não teríamos a massa. Se não fosse a exploração da América Latina, não teríamos o tomate.'" Ou seja, os dois ingredientes mais importantes da cozinha italiana "não são sequer italianos". Horvat sublinha que "as melhores coisas da História e da vida humana provêm, precisamente, desta passagem entre fronteiras e de trazermos algo de outras culturas".

Holmberg dá o exemplo do povo Sami, grupo étnico nativo da Lapónia, um dos últimos povos indígenas da Europa, que vive no território de quatro países: "Não ligamos a fronteiras." "Um dos nossos objectivos é impedir que as fronteiras nacionais interfiram na nossa união e colaboração", explica o professor. Para os Sami, "é mais natural falar sobre fronteiras culturais e não sobre fronteiras territoriais".

New Activists of European Culture é uma série do Canal180, em parceria com a We Are Europe, que se faz de conversas entre activistas europeus, dos mais variados campos. O resultado é uma série documental de sete episódios, acompanhada pelo P3, para ver na íntegra aqui.