Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Mano a Mano ao vivo no auditório do PÚBLICO

Nasceram ambos no Funchal, com uma diferença de dez anos, Bruno Santos em 1976 e André Santos em 1986. Guitarristas imersos no jazz desde há anos, com carreiras firmadas no meio, têm a par dos seus trabalhos a solo ou em projectos colectivos uma parceria que já resultou em vários espectáculos e três discos.

O mais recente (Mano a Mano, Vol 3), que chegou às lojas em Abril de 2019, junta, na linguagem do jazz, instrumentos tradicionais madeirenses como rajão e braguinha às guitarras eléctricas que tocam desde a juventude. É um disco quase todo preenchido com originais, assinados por Bruno e André, exceptuando os temas Noites da Madeira, do pianista e compositor madeirense Tony Amaral (1938-2016) e Stardust, do também pianista e compositor (mas norte-americano) Hoagy Carmichael (1899-1981).

É este trabalho que vai ser apresentado dia 25 de Janeiro no Pequeno Auditório do CCB (21h), com convidados especiais: Rita Redshoes e um ensemble de cordofones composto por Roberto Moritz, Graciano Caldeira e Gustavo Paixão.