Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

ZZZZZZ... Zika

Disseminado principalmente através da picada do mosquito do género Aedes, o vírus Zika é recente. Foi inicialmente identificado no Uganda em 1947, em macacos Rhesus. Em 1952 foi identificado em humanos, no Uganda e na Tanzânia. Desde então têm-se registado surtos da doença em África, nas Américas, na Ásia e no Pacífico.

Sintomas

São semelhantes a outras infecções por arbovírus, incluindo a febre do dengue

Dores de cabeça

Febre ligeira

Conjuntivite

Erupção da pele (exantema), comichão em todo o corpo

Dores nas

articulações

Dores

músculares

Diarreia

Incubação

Pessoa saudável é picada por um mosquito infectado

O período de incubação da doença não está estabelecido, sendo provavelmente de alguns dias

2-7 dias

Duração dos sintomas

Microcefalia

A microcefalia é o resultado de uma insuficiência no desenvolvimento do crânio e do encéfalo, que dá origem a um perímetro cefálico menor do que o normal, que é superior a 33 cm. Pode ser congénita, adquirida ou desenvolver-se nos primeiros anos de vida. Pode ser provocada pela exposição a substâncias nocivas durante o desenvolvimento do feto ou estar associada a problemas ou síndromes genéticas hereditárias.

Perímetro menor do que 33 cm

Tamanho

normal

Tamanho

menor

Notificações de suspeita de microcefalia no Brasil (até 18 de Fev.)

Casos suspeitos

Descartados

Confirmados

2015/2016

3852

765

462

5079

2015/

2016

147

2014

167

2013

175

2012

139

2011

153

2010

Casos de microcefalia no Brasil (até 23 de Maio)

BAÍA

Brasília

Mais de 500

Rio de Janeiro

200 a 499

100 a 199

50 a 99

Menos de 50

Sem dados disponíveis

Propagação do vírus

Desconhecido nas Américas e na Europa, é detectado em 2015 no Nordeste do Brasil. Neste momento já se espalhou por toda a América Latina.

Surto activo desde 1 de Fevereiro de 2016

Surtos anteriores

Anticorpos contra o vírus detectados em pessoas saudáveis

UGANDA

Primeiro caso

identificado

num macaco

Rhesus na floresta do Zika

BRASIL

Primeiro caso confirmado em Maio de 2015

O Aedes aegypti como transmissor

Quando infectado, oito a dez dias após o contacto com o vírus, o mosquito pode transmitir o Zika ao homem. Este, uma vez infectado, pode infectar mosquitos que não sejam portadores, multiplicando assim a possibilidade de novos casos. O mosquito mantém-se infectado durante toda a sua vida, reproduzindo novos mosquitos já infectados com o vírus. Trata-se do mesmo mosquito que transmite a dengue, o chikungunya e a febre-amarela. O vírus pode também ser transmitido pela saliva e por via sexual.

A fêmea é a principal ligação do vírus aos humanos

Estudos de autonomia de voo mostram que a maioria dos insectos pode passar toda a sua vida no local onde emergem como adultos. Percorrem uma distância média de voo que não ultrapassa os 400 m

Macho

Fêmea

Características

Dimensão

Menos de 1 cm

Tórax preto com linhas brancas ao centro e na periferia

Transmissão

O mosquito pica a pessoa infectada pelo vírus, alimentando-se do sangue

8-12 dias

O vírus infecta o mosquito que durante a sua vida reproduz novos mosquitos também eles infectados

Ciclo de vida

3

1

Aedes aegypti

Pupa

Tempo de vida em laboratório: 2 meses

 

Na cidade: 15 a 30 dias, em média

2

Estágios da larva

1. A fêmea do Aedes aegypti põe 100 a 150 ovos de cada vez e pode fazê-lo a cada quatro dias, tempo necessário entre a alimentação e maturação dos ovos. Uma fêmea de mosquito precisa de duas a três vezes o próprio peso em quantidade de sangue

 

2. O ovo desenvolve-se em três dias e pode sobreviver na água sem eclodir cerca de oito meses

 

3.Após chegar à fase de pupa, o mosquito desenvolve-se em três dias

Geografia do vírus

Foi detectado pela primeira vez em macacos utilizados para monitoramento da febre-amarela na floresta do Zika, no Uganda

1977 - 78

Paquistão

2007

Micronésia

 

1947

Uganda

1952

Tanzânia

 

1977 - 78

Malásia e Indonésia

Abril 2015

Brasil

2013

Polinésia Francesa

Sintomas

São semelhantes a outras infecções por arbovírus, incluindo a febre do dengue

Incubação

Dores de cabeça

Febre ligeira

Pessoa saudável

é picada por um mosquito infectado

Conjuntivite

Erupção da pele (exantema), comichão em todo o corpo

O período de incubação da doença não está estabelecido, sendo provavelmente de alguns dias

Dores nas

articulações

Dores

musculares

2-7 dias

Duração dos sintomas

Diarreia

Como se proteger

Repelentes

Roupa

Redes mosquiteiras

Aplique o repelente nas áreas expostas do corpo e renove-o de 3 em 3 horas. Ponha protector solar antes. Estes mosquitos estão mais activos de dia e vivem junto das habitações

Use roupa clara, larga e de fibras naturais, que tape o corpo (mangas compridas e calças). Evite águas paradas em baldes, pratos de vasos de flores, jarros, pneus velhos ou bebedouros de animais

Use ar condicionado para dormir e/ou durma sob uma rede mosquiteira, de preferência impregnada com insecticida de contacto, como permetrina, usada para matar piolhos

GRAVIDEZ

 

• Recomendam-se também consultas pré-natal;

• Não se automedique;

• Evite o contacto com pessoas com febre, manchas vermelhas (exantemas) ou infecções;

• Use repelentes indicados para o período da gestação.

Microcefalia

A microcefalia é o resultado de uma insuficiência no desenvolvimento do crânio e do encéfalo, que dá origem a um perímetro cefálico menor do que o normal, que é superior a 33 cm. Pode ser congénita, adquirida ou desenvolver-se nos primeiros anos de vida. Pode ser provocada pela exposição a substâncias nocivas durante o desenvolvimento do feto ou estar associada a problemas ou síndromes genéticas hereditárias.

Perímetro menor do que 33 cm

Tamanho

normal

Tamanho

menor

Notificações de suspeita de microcefalia no Brasil (até 23 de Maio)

2015/

2016

1384

2014

147

7534 casos suspeitos

2013

167

2012

175

139

2011

1384 confirmados

153

2010

Casos de microcefalia no Brasil (até 14 de Maio)

CEARÁ

RIO GRANDE DO NORTE

PARAÍBA

Recife

PERNAMBUCO

BAÍA

Brasília

São Paulo

Mais de 500

Rio de Janeiro

200 a 499

RIO DE JANEIRO

100 a 199

50 a 99

Menos de 50

Propagação do vírus

Desconhecido nas Américas e na Europa, é detectado em 2015 no Nordeste do Brasil. Neste momento já se espalhou por toda a América Latina.

Países com o surto activo a 23 de Agosto de 2016

Surtos anteriores

Anticorpos contra o vírus detectados em pessoas saudáveis

ÁSIA MERIDIONAL

ÁFRICA

AMÉRICA DO NORTE

AMÉRICA DO SUL

UGANDA

Primeiro caso

identificado

num macaco

Rhesus na floresta do Zika

em 1947

SUDOESTE ASIÁTICO

BRASIL

Primeiro caso confirmado em Maio de 2015

Alcance do mosquito Aedes

Ocorrências registadas entre 1960 e 2014 (cada ponto representa uma ocorrência conhecida)

AEGYPTI

ALBOPICTUS

ÁSIA MERIDIONAL

ÁFRICA

AMÉRICA DO NORTE

AMÉRICA DO SUL

SUDOESTE ASIÁTICO

OAedes aegypti como transmissor

Quando infectado, oito a dez dias após o contacto com o vírus, o mosquito pode transmitir o Zika ao homem. Este, uma vez infectado, pode infectar mosquitos que não sejam portadores, multiplicando assim a possibilidade de novos casos. O mosquito mantém-se infectado durante toda a sua vida, reproduzindo novos mosquitos já infectados com o vírus. Trata-se do mesmo mosquito que transmite a dengue, o chikungunya e a febre-amarela. O vírus pode também ser transmitido pela saliva e por via sexual.

AEDES AEGYPTI

Asas pretas

Manchas brancas

no corpo e patas

Probóscide

A fêmea é a principal ligação do vírus aos humanos

Características

Dimensão

Estudos de autonomia de voo mostram que a maioria dos insectos pode passar toda a sua vida no local onde emergem como adultos. Percorrem uma distância média de voo que não ultrapassa os 400 m

Macho

Fêmea

Menos de 1 cm

Tórax preto com linhas brancas ao centro e na periferia

Transmissão

O mosquito pica a pessoa infectada pelo vírus, alimentando-se do sangue

 

 

8-12 dias

O vírus infecta o mosquito que durante a sua vida reproduz novos mosquitos também eles infectados

Ciclo de vida

1

A fêmea do Aedes aegypti põe 100 a 150 ovos de cada vez e pode fazê-lo a cada quatro dias, tempo necessário entre a alimentação e maturação dos ovos. Uma fêmea de mosquito precisa de duas a três vezes o próprio peso em quantidade de sangue

3

1

Aedes aegypti

2

Pupa

Tempo de vida em laboratório: 2 meses

 

Na cidade: 15 a 30 dias, em média

O ovo desenvolve-se em três dias e pode sobreviver na água sem eclodir cerca de oito meses

3

Após chegar à fase de pupa, o mosquito desenvolve-se em três dias

2

Estágios da larva

Geografia do vírus

Foi detectado pela primeira vez em macacos utilizados para monitoramento da febre-amarela na floresta do Zika, no Uganda

1977 - 78

Paquistão

2007

Micronésia

Primeiro surto

1947

Uganda

1952

Tanzânia

Primeiro caso

em humanos

1977-78

Malásia e Indonésia

Abril 2015

Brasil

2013

Polinésia Francesa

Fonte: OMS, Instituto de Higiene e Medicina Tropical, Ministério da Saúde do Brasil, Reuters