Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Com apenas 9 anos, Laurent está prestes a terminar a licenciatura de engenharia electrónica

Rapaz belga já pensa num doutoramento na mesma área, ou de seguir para medicina. E já tem convites de universidades de todo o mundo para prosseguir os seus estudos.

Universidade Tecnológica de Eindhoven

Quem olha para Laurent Simons sem conhecer a sua história vê apenas uma criança de nove anos igual a tantas outras: o menino belga gosta de brincar com o cão e de jogar no telemóvel. O que o torna diferente, excepcional até, é o facto de, no próximo mês de Dezembro, Laurent concluir uma licenciatura em engenharia electrónica na Universidade Tecnológica de Eindhoven. Não só termina o primeiro ciclo da universidade com a mesma idade em que a esmagadora maioria das crianças está a acabar a primária, como conquista um diploma particularmente difícil, até para os seus colegas adultos.

Descrito pelos docentes e funcionários da universidade holandesa como “simplesmente extraordinário”, o rapaz será a pessoa mais nova do mundo a graduar-se naquele curso. A etapa seguinte, conta Alexander Simons, o pai de Laurent, à CNN, poderá passar por um doutoramento na mesa área, mas uma formação em medicina também está em cima da mesa. 

Ao canal norte-americano, os pais de Laurent, ambos médicos, dizem que especialistas que estudaram o seu filho afirmam “que ele é como uma esponja” capaz de absorver qualquer informação, mas não conseguem explicar exactamente como é que consegue aprender tão rapidamente.

“É o aluno mais rápido que já tivemos aqui. E não é apenas hiper inteligente, também é um miúdo muito compreensivo”, refere Sjoerd Hulshof, director do curso, à CNN.

O seu curto mas sensacional percurso académico não tem passado despercebido e o jovem já foi contactado por várias universidades prestigiadas em todo o mundo para prosseguir os seus estudos. No entanto, os pais fazem questão de sublinhar que Laurent é uma criança normal e que não gostam que “não faça o que gosta”. De resto, e terminado o curso em Dezembro, Laurent e os pais vão de férias para o Japão.