Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Cidades

Porto é uma das melhores cidades pequenas para a Monocle

A lista de 20 cidades pequenas da Monocle elege Lausanne, Boulder e Bergen como as melhores para quem goste do ambiente citadino, mas como espaço para respirar. O Porto é descrito como um caldeirão de criatividade que deveria investir mais no seu centro histórico.

A cidade portuguesa é traçada como sendo próxima da moda e dos criadores de mobília, atraindo designers, com “o sol e a cozinha líder em todo o mundo a encorajar os estrangeiros a assentar no Porto” Nelson Garrido

O Porto foi escolhido pela revista internacional Monocle como a nona melhor cidade pequena do mundo para se viver com calma, mas com todos os serviços por perto. É uma cidade com sol, “uma cozinha líder”, um “caldeirão cultural de criatividade”, que passou de ser uma “cidade adormecida para ser uma alternativa espirituosa a Lisboa”.

Na edição de Janeiro da revista, a cidade portuguesa é traçada como sendo próxima da moda e dos criadores de mobília, atraindo designers, com “o sol e a cozinha líder em todo o mundo a encorajar os estrangeiros a assentar no Porto”. É ideal “para amantes de praia” – sobretudo para quem não se acanha perante a temperatura da água do Atlântico – e, além do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, tem um comboio até Vigo, em Espanha, que permite ligar-se a comboios de alta velocidade.

Paulo Pimenta

“Há 15 anos, esta era uma cidade em declínio por causa da economia vacilante de Portugal, mas houve uma mudança de prioridades que propulsionou o Porto: o restauro do centro histórico, empedrado e coberto de azulejos, os gastos em infra-estruturas e a abertura ao investimento estrangeiro”, escreve a revista. Ainda assim, “precisa de mais dinheiro para modernizar o seu centro histórico; muitos edifícios estão devolutos”.

Basileia, Boulder, Bergen

“Será possível ter tudo – o trabalho, a vida social, a família, um aeroporto com boas ligações – longe da capital num sítio mais aconchegado?” A Monocle acredita que sim e escolheu 20 cidades para a sua lista na primeira edição de 2020: em primeiro lugar está Lausana, na Suíça, por ser “pequena o suficiente para ser familiar, grande o suficiente para se poder viver”, uma cidade de excelência e com diversidade – ainda que a habitação seja particularmente cara.

Em segundo lugar está a cidade de Boulder, no estado do Colorado, nos Estados Unidos, e em terceiro Bergen, na Noruega. A lista tem duas cidades suíças (Lausana e Basileia), duas dos Estados Unidos (Boulder e Savannah) e duas alemãs (Aachen e Potsdam); os restantes países só aparecem mencionados uma vez. Em Espanha, foi dado destaque à cidade basca de San Sebastián. 

Para esta lista de cidades pequenas, a Monocle analisou as cidades com cerca de 200 mil habitantes que funcionassem como um “ponto ideal” em termos de equilíbrio social e de diversidade cultural, sendo simultaneamente pitorescas. Da lista foram excluídas cidades que não tenham ligação a aeroportos internacionais, um sistema de transportes públicos eficiente e um governo local “progressista e moradores acolhedores”. Foi também analisada a taxa de criminalidade, esperança média de vida e a qualidade das universidades – e se é possível arranjar-se um bom café às 6h ou estar a dançar às 2h.

As 20 cidades pequenas em destaque:

  1. Lausana, Suíça;
  2. Boulder, Estados Unidos;
  3. Bergen, Noruega;
  4. Hobart, Austrália;
  5. Chigasaki, Japão;
  6. Bolzano, Itália;
  7. Bordéus, França;
  8. Innsbruck, Áustria;
  9. Porto, Portugal;
  10. Aachen, Alemanha;
  11. Reiquejavique, Islândia;
  12. Savannah, Estados Unidos;
  13. Potsdam, Alemanha;
  14. Basileia, Suíça;
  15. Chiang Mai, Tailândia;
  16. Victoria, Canadá;
  17. San Sebastián, Espanha;
  18. Eindhoven, Países Baixos;
  19. Bath, Reino Unido;
  20. Allbord, Dinamarca.

Menções honrosas:

  • Wiesbaden, Alemanha;
  • Trieste, Itália;
  • Haarlem, Países Baixos;
  • Anápolis, Estados Unidos;
  • Salzburgo, Áustria.