Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Levar areia da praia? Na Sardenha, um casal arrisca pena de prisão

Franceses foram apanhados a tentar sair do país com 40 quilos de areia no carro. Disseram que se tratava de um souvenir.

Uma das praias na Sardenha Reuters/MAX ROSSI

Um casal de turistas gauleses foi detido na ilha italiana da Sardenha quando se preparava para embarcar num ferry para França, ao seguirem com 40 quilos de areia da praia na bagageira do carro. Apesar de terem dito às autoridades que se tratava apenas de um souvenir de férias, os franceses cometeram um crime e arriscam agora uma pena de prisão até seis anos, escreve a BBC.

É que a areia das praias da Sardenha é considerada um bem público e é proibido retirá-la da ilha: fazê-lo equivale a um crime de roubo de património nacional, normalmente punido com uma multa que pode variar entre os 500 euros e os 3000 euros, de acordo com uma lei de 2017 que proíbe o roubo de areia, pedras e conchas.

Só que no caso deste casal há uma agravante: por terem roubado um bem igualmente considerado de utilidade pública, poderão ser condenados a uma pena de prisão entre um e seis anos. Os franceses levavam 14 garrafas de plástico cheias de areia retirada da praia de Chia, no sul da Sardenha.

“A areia das praias é um dos maiores atractivos da Sardenha. Há duas ameaças: o nível de erosão, que é em parte induzido pelo aumento do nível da água do mar devido às alterações climáticas; e o segundo é o roubo de areia pelos turistas”, disse Pierluigi Cocco, um cientista de Cagliari, capital da Sardenha, citado pela BBC.

Os sucessivos roubos têm motivado queixas por parte dos moradores da ilha, que dizem ver-se privados de bens públicos. Os turistas, maioritariamente de origem europeia (incluindo italianos) armazenam a areia, ignorando os vários avisos nas praias, tanto para terem uma lembrança das férias, como para a leiloarem na Internet.

A situação foi também partilhada pela página Sardegna Rubata e Depredata ("Sardenha roubada e saqueada”, em português), criada por um grupo de seguranças do aeroporto de Sardenha para dar conta deste tipo de roubo. “O propósito desta página é que as pessoas ganhem consciência sobre este problema”, resumiu um dos administradores da página à CNN Travel, numa entrevista no início de Agosto.

E há casos ainda mais graves na Sardenha, como o da “praia cor-de-rosa” na ilha de Budelli, no noroeste da Sardenha, cujo acesso está proibido desde 1994 devido ao roubo em massa da areia pelos turistas.